comentários  

04 de agosto de 2011, 09:55

Perguntas e respostas Tema: Distúrbios da tireóide


Introdução

 

A tireóide é uma glândula endócrina importante para o bom funcionamento do organismo. Ela se localiza na parte inferior do pescoço e libera dois hormônios: T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), os quais estimulam o metabolismo, ou seja, o conjunto de reações necessárias para assegurar os processos bioquímicos do corpo humano. 

Os principais distúrbios que afetam a tireóide são: hipotireoidismo e hipertireoidismo; ambos serão detalhados através de uma sequência de perguntas e respostas.

 

1.      O que é hipotireoidismo?

R.: é o distúrbio endócrino caracterizado pela produção diminuída ou ausente dos hormônios tireoidianos.

2.      O que é hipertireoidismo?

R.: é o distúrbio caracterizado pela produção excessiva de hormônios tireoidianos.

3.      Quais são os fatores causais do hipotireoidismo?

R.: principalmente, uma doença conhecida como Tireoidite de Hashimoto, de caráter auto-imune, que gera uma inflamação na glândula tireóide e reduz a função da mesma, diminuindo os níveis de hormônios produzidos por ela. Além disso, falta ou excesso de iodo na dieta, pós-operatório de tireoidectomia e tumores também podem ocasionar hipotireoidismo.

4.      O que causa hipertireoidismo?

R.: comumente uma patologia denominada Doença de Basedow-Graves (bócio difuso tóxico), de caráter hereditário, apresentando um anticorpo que estimula a produção excessiva dos hormônios tireoidianos; o bócio nodular tóxico e outras afecções raras podem ainda provocar hipertireoidismo.

5.      Quem tem mais chance de ter distúrbios da tireóide?

R.: mais comumente encontrado em pacientes do sexo feminino e acima dos 40 anos de idade.

6.      Quais os sintomas do hipotireoidismo?

R.: quando um paciente apresenta redução dos níveis de hormônios tireoidianos, ocorre uma diminuição generalizada das atividades do organismo, em virtude de tais hormônios estarem relacionados à ativação do metabolismo. Logo, o paciente pode apresentar: redução da frequência cardíaca, sonolência, cansaço, depressão, adinamia, constipação, diminuição do apetite, menor tolerância ao frio, maior acúmulo de líquidos, provocando edema (mixedema), aumento de peso (por acúmulo de líquido e não de gordura), entre outros.

7.      Quais são os sintomas do hipertireoidismo?

R.: o paciente com hipertireoidismo apresenta excesso de hormônios tireoidianos e redução do TSH (hormônio produzido pela hipófise, que estimula a tireóide a produzir os hormônios T3 e T4, os quais, uma vez fabricados, inibem a produção do TSH), desenvolvendo os seguintes sintomas: irritabilidade, insônia, nervosismo, taquicardia, intolerância ao calor, exoftalmia (“olhos saltados”), tremores, perda de peso (perdendo mais proteína e músculo do que propriamente gordura).

8.      Como é feito o diagnóstico de tais distúrbios?

R.: o diagnóstico é feito por meio da história clínica do paciente, associada a um exame físico completo e exames complementares: laboratoriais (dosagem de TSH, T4 e T3) e de imagem, a exemplo da ultrassonografia da região cervical, possibilitando a visualização da glândula tireóide. Níveis elevados de TSH e baixos dos hormônios da tireóide caracterizam o hipotireoidismo, enquanto que o TSH baixo e alta dosagem de hormônios da tireóide caracterizam o hipertireoidismo

Verifica-se que, quando o TSH está baixo e os hormônios da tireóide ainda permanecem nos limites normais, caracteriza-se o chamado hipertireoidismo subclínico. No entanto, se o resultado do TSH encontra-se elevado e o T4 está normal, o diagnóstico é de hipotireoidismo subclínico ou inicial.

9.      Qual o tratamento para os referidos distúrbios?

R.: o tratamento vai depender do tipo e da causa da doença, podendo variar para cada paciente. No hipotireoidismo, é feita a reposição do hormônio T4 (tiroxina) ao longo da vida, com resultados excelentes. Já, no caso do hipertireoidismo, o tratamento é mais complexo, incluindo medicamentos, iodo radioativo e cirurgia, a depender das características e causas da doença. O médico endocrinologista é o especialista mais indicado para avaliar cada indivíduo e definir a melhor conduta.



Observações
: a) Hormônios tireoidianos não devem ser utilizados para emagrecer; b) Caso você tenha algum parente de 1º grau com doença da tireóide, faça exames precocemente.

 

¹ ² ³Maria do Bom Sucesso Lacerda Fernandes Neta

 

Referências

 

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. Projeto Diretrizes: Hipotireoidismo. 2005.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. Projeto Diretrizes: Hipertireoidismo. 2006.

<http://www.medicinaatual.com.br>

<http://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/295/hipotireoidismo>  Acesso em 09 jun. 2011

<http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/871/hipotireoidismo>  Acesso em 09 jun. 2011

 

E-mail para contato: sucessomed@hotmail.com

¹Paraibana, patoense, 22 anos, mais conhecida como “Cessinha”, poetisa, escritora.

²Acadêmica do 10º período de medicina da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande.

³Membro Efetivo da Academia Patoense de Artes e Letras.


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.