comentários  

17 de janeiro de 2014, 14:44

PERDAS DO FGTS DE 1988 A 2013: ENTENDA COMO FUNCIONA


Há alguns dias a mídia nacional passou a falar de direitos a expurgos do FGTS para quem trabalhou com Carteira Assinada e teve recolhimentos de 1988 até hoje, na realidade não se cuida de uma simples ação de cobrança, mas de uma demanda de cunho quase que Declaratório da Inconstitucionalidade de dispositivos das Leis 8.036/90 e 8.117/91, pois são estas Leis que determinam que os índices da Caderneta de Poupança (TR) devem ser usados como indexadores do FGTS.

Que recentemente, o Supremo Tribunal Federal através do Recurso Extraordinário 747.702/SC em decisão relatada pela Ministra Carmem Lúcia entendeu que a aplicação da TR na correção de valores que não sejam específicos de Caderneta de Poupança é inconstitucional, o que também foi observado pelo STJ, em decisão do Ministro Castro Correia.

Assim, com o afastamento da TR como índice de correção do FGTS, se impôs a aplicação do INPC/IBGE que nos últimos anos superou em muito a taxa declarada inconstitucional pelo STF e STJ gerando a diferença.

Ou seja, entre 1991e 2012, quase tudo que foi corrigido pela TR ficou abaixo do índice de inflação. Somente nos anos de 1992, 1994, 1995, 1996, 1997 e 1998, a TR ficou acima dos índices de inflação, vejam as perdas/ganhos anuais em relação ao INPC-IBGE.

Ano                                      Diferença                         Ano                         Diferença

1991                                       -8,41%                           2002                          -10,40%

1992                                        0,57%                           2003                           -5,20%

1993                                       -0,56%                           2004                           -4,07%

1994                                        2,12%                           2005                           -2,11%

1995                                        7,90%                           2006                           -0,75%

1996                                        0,43%                           2007                           -3,53%

1997                                        5,22%                           2008                           -4,55%

1998                                        5,18%                           2009                           -3,27%

1999                                       -2,49%                           2010                           -5,43%

2000                                       -3,02%                           2011                           -4,59%

2001                                       -6,54%                           2012                           -5,56%

 

 

A própria Justiça Federal, através da Secção do Rio Grande do Sul disponibilizou uma tabela onde é possível obter o valor da diferença, que posse ser acessada pelo link: http://www2.jfrs.jus.br/?attachment_id=10809, esse endereço abrirá uma planilha excel onde com base nos dados do extrato de FGTS será possível calcular o valor da diferença.

Segue abaixo a tela da Justiça Federal do Rio Grande do Sul onde se encontra o programa, não precisa baixar, basta clicar em FGTS-net e o software começa a funcionar.

Por isso, além dos documentos pessoais é necessário o extrato do FGTS, que pode ser solicitado na Caixa,  para alimentar o programa e saber o valor da diferença que pode ser cobrada judicialmente perante a Justiça Federal, através de um advogado de sua confiança.

 

 

Taciano Fontes é advogado

 



Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.