comentários  

08 de abril de 2014, 09:08

Novas tendências de mercado


Gosto muito de Natal, mais pelos poucos, mas excelentes amigos do que por qualquer outro motivo. A cidade continua linda, mesmo com as obras de Mobilidade Urbana referentes aos preparativos para a Copa do Mundo da FIFA.

Como sempre faço quando vou a lugares com gastronomia variada, saio para experimentar novos sabores e lugares. Para minha surpresa o assunto nas mesas em sua maioria era sobre as estratégias que o consumidor precisa fazer e se utilizar para conseguir driblar algumas ''novidades'' das chamadas cidades grandes.

Primeiro: o trânsito a partir das 6 horas da manhã até 21 horas para qualquer lugar da cidade está um nó.  Segundo: o estacionamento. Quando você encontra um custa no mínimo R$ 10,00. Isso em Natal, pois no Rio e São Paulo chega a custar até R$ 25,00 a hora, repito, ''quando você encontra ''.

Passados pelos dois primeiros itens vamos a “superhipermegaultra” novidade, o terceiro problema para quem quer comer fora de casa nas grandes cidades: O Arrastão. É assim: Cinco a seis bandidos armados entram nos restaurantes chiques da cidade, durante 40 segundos a no máximo um minuto e meio levam o que podem. Levam bolsas, celulares, joias, chaves de carro, enfim, levam o que puder. Reclamações ao Papa Francisco, com todo respeito a sua santidade.

Caso você não encontre nenhum desses outros três problemas, o trânsito, o estacionamento, os arrastões então você já é um cara quase de ''sorte''. Porque se você resolver tomar um copo, apenas UM COPO mesmo que seja de cafezinho de cerveja e encontrar o BAFÔMETRO pela frente, numa rua qualquer a caminho de casa seus problemas realmente ficaram mais sérios do que você imaginava para o seu simples jantar ou almoço de fim de semana. Em função disso e surgindo como a grande novidade para amenizar os problemas desses consumidores está o Delivery que é a entrega em casa. Isso passa a ser a grande alternativa para quem não gosta de correr riscos desnecessários.

Quando você pede o seu alimento em casa automaticamente elimina de uma vez só todos esses problemas. Continua se alimentando do jeito que você gosta, com a comida que você quiser e em alguns casos, até mais á vontade e na segurança do seu lar na companhia de amigos e dos familiares.

O grande 'x' da questão é que como uma novidade e uma tendência que cada vez mais ganha mercado, o DELIVERY com o tempo e o acomodamento de demanda vai sofrer muitas alterações. Quando você somente envia o seu produto ao seu cliente, o empresário economiza quase duas dezenas de itens, podendo assim reduzir os custos também para o seu cliente. Com DELIVERY o proprietário do estabelecimento economiza garçom, mesa, cadeira, toalhas, cobre  manchas, azeite, vinagre, shoyo, guardanapos, sal, palito, funcionários extras na retaguarda. Enfim, essa redução de custo dos empresários acabará chegando à mesa dos consumidores. E isso em menos tempo do que se imagina.

Escritores de ficção científica há muito tempo defendem a tese de que num futuro bem próximo, com as pessoas trabalhando cada vez mais em casa, o movimento nas ruas será apenas de serviços essenciais. Mesmo em Patos, a novidade já chegou! O meu restaurante está fazendo opção pelo DELIVERY. O importante mesmo é que com até 50% alguns restaurantes das maiores cidades do Brasil já descobriram essa nova fatia de mercado e estão investindo pesado nessa nova alternativa.

Tomara que a moda pegue. Saúde, paz e bom apetite.

 

A Boa. 

 

A Coluna de Gastronomia ART GASTRO estará ministrando oficina de cozinha básica para iniciantes. Turma de apenas 5 alunos. Inscrições abertas pelo fone 83 9627 4215.

 


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.