comentários  

05 de agosto de 2014, 10:29

Fibras para viver melhor!


Que uma alimentação a base de frutas, verduras, legumes, cereais e oleaginosas (castanhas e nozes), além de peixes marinhos e  carnes brancas, de preferência grelhadas, é fundamental para uma boa saúde, aliada a exercícios físicos, ninguém duvida e todo mundo sabe não é nenhuma novidade. Não é também nenhuma novidade que depois de alguns problemas de saúde como um infarto, todo mundo começa a prestar mais atenção na própria alimentação.

Quando o coração ameaça parar são inevitáveis às mudanças para equilibrar o seu estilo de vida, e claro, a alimentação é a principal delas, aliada também a exercícios físicos. Uma coisa não tem muito resultado sem a outra. O BRITISH MEDICAL JOURNAL, um dos mais prestigiados periódicos do planeta, informa que é fundamental o consumo de fibras. Se você já passou por um infarto, o consumo de fibras vai lhe dar mais sobrevida e você poderá se sair melhor depois do susto.

4.098 pessoas, entre homens e mulheres, foram analisadas por estudiosos da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, onde foram comparadas o que comiam antes e depois. Ao longo de nove anos concluíram que os indivíduos que consumiam adequadamente fontes fibrosas reduziram em 13 % o risco de morrer por novas complicações cardiovasculares.

“Dietas ricas em fibras estão associadas  a uma melhor resposta glicêmica”. É o que explica a epidemiologista Shanshan Li, uma das responsáveis pela pesquisa. É bom lembrar que as fibras aumentam a sensação de saciedade porque  exigem maior tempo de mastigação, dando prazo para que o cérebro possa perceber que o corpo já está sendo alimentado e prolongam o período da digestão.

As fibras ajudam a arrastar o LDL, a versão ruim dessa gordura para fora do organismo junto com as fezes. Mais magro, com menos colesterol na circulação e com um risco menor de diabetes, ou se for diabético com uma glicemia mais controlada, o sujeito tem mais chances de escapar de um novo infarto, uma ameaça constante a quem sustenta maus hábitos alimentares e já sobreviveu a um ataque cardíaco.

''Por nutrirem os micro-organismos benéficos da flora intestinal, as fibras também colaboram nesse sentido'', é o que afirma o nutrólogo Daniel Magnoni, do Hospital do Coração de São Paulo. “Eles liberam compostos que ajudam a barrar os níveis de colesterol e moléculas inflamatórias circulantes nas artérias. Quando se capricha nas fibras, o perfil da flora melhora e a situação dos vasos também. Hoje a  recomendação é ingerir de 25 a 30 gramas de fibras diariamente. Essa mesma porção vale para uma pessoa saudável, que nunca teve nenhum problema cardíaco, ou seja, as fibras fazem bem para o coração de todos, infartados ou não”, relata Daniel.

A questão é que no Brasil poucos indivíduos alcançam essa cota mínima. É o que lamenta a nutricionista Lis Proença Vieira, do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo, o InCor. Segundo ela, os brasileiros que se dão por satisfeitos em matéria de consumo de fibras atingem no máximo uns 20 gramas, e olhe lá! Infelizmente, não é para o coração sair saltitando de alegria com uma constatação dessas.

Vale muito investir em  oleaginosas; castanhas, nozes e afins que têm gorduras monoinsaturadas que protegem as artérias do colesterol ruim. Leguminosas: feijão, soja, grão de bico tem proteínas que também ajudam a controlar o colesterol indesejável. Cereais: fontes de vitaminas e minerais que zelam pelas boas condições dos vasos sanguíneos. Frutas e Verduras são antioxidantes que evitam o enrijecimento da parede dos vasos e a formação das  placas de gorduras. ''Nesse pacote vêm vitaminas, minerais e outros nutrientes que potencializam os benefícios para os vasos'', faz questão de lembrar Lis Proença Vieira.

As fibras, em si, são praticamente as mesmas entre elas, mas suas acompanhantes podem ter efeitos complementares e você garante o consumo de um pouco de cada, sem contar que o cardápio variado  evita cair na mesmice, e isso faz uma grande diferença para incorporar esse novo hábito ao seu dia a dia. Por isso é muito bom diversificar nos redutos fibrosos. Quem segue à risca essa sugestão tem menor risco de engrossar a estatística dos problemas cardiovasculares.

Infartou coma fibras. Não quer infartar coma fibras. Elas aparecem como a melhor pedida na dieta de quem quer evitar o ataque cardíaco, ou mesmo um novo ataque cardíaco, por um período de cerca de nove anos. As fibras previnem descargas exageradas do hormônio chamado insulina que é despejado pelo pâncreas para dar conta do excesso de glicose que chega de uma hora para outra no organismo fazendo uma grande diferença. Já que a abundância de insulina está associada ao acúmulo de gordura na barriga (abdômen), que convenhamos, acaba deixando o seu coração mais abatido do que a sua própria autoestima.

 Se você perguntar: Fibras em pó servem? A resposta é uma só. Somente quando usada como suplemento e ainda assim por indicação de um médico ou nutricionista, nunca como a única forma de ingestão. “É preciso checar a real necessidade e a quantidade desse produto”, frisa a nutricionista Lis Proença, do InCor de SP. Muitas vezes é melhor optar por alimentos enriquecidos -tais como as boas versões de pães integrais.

 

 

A BOA DE SEMPRE!
 
Bom é não fumar, beber  só pelo paladar, comer de tudo que for bem natural e só fazer muito amor. Amor não faz mal, como diria o professor MONSIEUR  BINOT, da música da Joyce.

Saúde e paz, porque o resto, a gente corre atrás.

Até a próxima semana!

 

 


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.