comentários  

19 de abril de 2017, 19:26

Em tom bastante irônico, Aldeone Abrantes crítica a redução do número de clubes no Paraibano


Nesta quarta-feira, o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, fez duras críticas à decisão tomada pelo presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, de diminuir o numero de participantes do Campeonato Paraibano. Na opinião do dirigente Sertanejo, a opção por reduzir o número de participantes revela a preguiça dos profissionais que comandam a FPF, que não se dão ao trabalho de pensar em um meio mais viável para diminuir a quantidade de datas da competição em busca de se adequar ao calendário da CBF.

Eu acho que esse ponto de vista de diminuir o número de clubes é até um raciocínio preguiçoso, de não querer pensar, de não querer mudar o regulamento e diminuir a forma de disputa. Pode-se fazer um campeonato de pontos corridos, o que eliminaria as datas dos quadrangulares - comentou Aldeone.

Ele lembra que as agremiações que vão disputar mais de uma competição recebem um valor mais elevado do Programa Gol de Placa e, por isso, deveriam, pelo menos em teoria, estar aptos a, por exemplo, ter um elenco mais robusto para dar conta de mais de uma competição.

Nós, pobres mortais, recebemos 200 mil reais do Gol de Placa. Os times que vão para Copa do Nordeste, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil têm um orçamento perto de 3 milhões de reais no primeiro semestre da temporada. Por que é que não têm um capaz de colocar um time misto em determinadas rodadas do campeonato, um time mesclado? - avaliou.

Aldeone prossegue na sua avaliação dizendo que no sertão só resta Sousa e Cajazeiras na elite e fala da arbitragem.

Uma cidade como Patos, por exemplo, já está fora do campeonato (Esporte e Nacional jogaram juntos o estadual, pela última vez, em 2012; o Esporte voltou em 2016, mas foi rebaixado). Agora, escaparam Sousa e Cajazeiras (Sousa e Atlético-PB seguem na elite). Diminuindo para oito, isso piora. E ainda temos uma arbitragem não confiável como essa da Paraíba, que é uma fábrica de resultados. Então, diminuir o campeonato é o caminho mais curto. É não querer adequar uma simples mudança de regulamento ou de datas. Não é a quantidade de clubes que está atrapalhando o Campeonato Paraibano. É a falta de imaginação em se fazer uma tabela enxuta e ter pulso - avaliou ele.

Em tom duramente crítico - e em alguns momentos até irônico -, Aldeone opina até sobre o apelo do Campeonato Paraibano. Para ele, a redução no número de participantes vai tornar a competição ainda menos atrativa do que já é.

Eu acho que isso é um ato de covardia. É um caso de você estar procurando tirar a graça de um campeonato que já não tem muita graça. O simples fato de diminuir o número de clubes é hilário, para não dizer uma ideia de jerico, falta de imaginação e de coragem de enfrentar a realidade. Esse é meu ponto de vista - finalizou.



Martir Esportes
Com GE


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.