comentários  

14 de abril de 2018, 07:53

CBF pune árbitros paraibanos envolvidos na Operação Cartola


Os homens do apito e das bandeiras da Paraíba estão na “geladeira” do futebol brasileiro.

Na tarde desta sexta-feira, o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Coronel Marinho, confirmou que os árbitros paraibanos citados na Operação Cartola não vão ser escalados para jogos das competições realizadas pela entidade até que as investigações sejam concluídas.

Encabeçada pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, a ação investiga um suposto esquema para manipulação de resultados na edições da primeira divisão do certame estadual de 2011 a 2018.

Segundo Coronel Marinho, todos os árbitros do quadro da Paraíba estariam excluídos dos sorteios das séries A, B, C, D do Brasileiro e também das Copas do Nordeste e do Brasil.

Só que, após uma análise com relação aos investigados na operação, ficou definido que apenas os citados pela polícia e pelo Ministério Público não estarão nas escalas de arbitragem.

– A gente ficou ciente dessa situação que está acontecendo na Paraíba e se pensou inicialmente em afastar, até que fossem investigadas todas as denúncias que estão sendo apresentadas, todos os árbitros do estado. No entanto, depois nós tomamos ciência de que nem todos os árbitros do estado estão envolvidos na operação e a nossa decisão é que só aqueles que foram citados estão afastados das escalas. Isso vale até que todos os casos sejam esclarecidos pelas investigações – comentou Marinho, em entrevista ao GloboEsporte/PB.

Pelo que informa o delegado Lucas Sá, que está à frente das investigações, mais de 80 pessoas estão sendo investigadas. A lista completa segue sob sigilo, mas 39 nomes contra os quais foram cumpridos mandados de busca e apreensão já foram divulgados e, entres eles, constam os de 11 árbitros:

Adeílson Carmo, Antônio Carlos Rocha (Mineiro), Antônio Umbelino, Dguerro Xavier, Diego Roberto, Éder Caxias,  João Bosco Sátiro da Nóbrega, José Maria de Lucena Netto (Neto), Luís Filipe, Renan Roberto, Tarcísio José de Souza (Galeguinho).

A Operação Cartola investiga a Federação Paraibana de Futebol (FPF), o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), a Comissão Estadual de Arbitragem do Futebol da Paraíba (Ceaf-PB), clubes paraibanos e seus respectivos dirigentes em uma suposta organização que manipula resultados no futebol profissional desde 2011. Ao todo, 80 nomes estão sendo investigados pela operação.

 

Paraibaonline

 

 


Publicidade
Publicidade

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Patos Online suspende a publicação de comentários nas matérias. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto após as eleições de 2018.