comentários  

16 de agosto de 2018, 17:28

Jornalismo com amor!


No início da jornada, surge uma pergunta danada: jornalismo dá dinheiro? Isso é fato ou é lenda?  Poderei lhes responder lá na frente com noção essa pergunta danosa. Para essa ocasião, vou aqui esclarecer alguns pontos pertinentes. Quem pensou em atuar nessa área valorosa, vai dizer com precisão, jornalismo é coisa séria, é vocação; é ‘sacerdócio’, portanto, não se faça de rogado, veja bem, o que aprendeu lá nas FIP. Seja ético e responsável para a vida melhorar do meu povo tão sofrido.

Uma das prerrogativas do jornalismo legal, é servir com lealdade, mas sabemos que existe a regra da exceção e, por essa razão, aqui também se apresentam os maus-caracteres, enganadores do povo, os fracos e os sem- valor. No entanto, são desprovidos de “fama”, pois, seus pés estão na lama, sem prestígio popular. Entretanto, é importante destacar que os pseudojornalistas ficaram pelo caminho, sem rumo na profissão, nunca terão o prazer da gratidão, do brioso cidadão.

Parceria é importante, sobretudo para o bem. Jornalismo é compromisso social como ninguém; advertir, comunicar, esclarecer, reivindicar e formar opiniões lhe convêm. E com essa caminhada desempenhada, é de suma importância escutar o outro lado, dando voz e vez, com espaços generosos, na mídia, no dia a dia. Isso sim é corroborar de verdade com nossa sociedade.

A conjuntura atual é delicada, em que vive o Brasil, sem ética e sem compromisso, dos políticos desonestos, aqui no nosso país, com pequenas exceções. É preciso dar exemplo ao país; de ética e também decência. Portanto, jornalista, seja qual for o seu campo de atuação; Impresso, Web, Rádio ou Televisão. Observem, sejam fortes, e também muito prudentes. O preceito da verdade e igualdade deve ser conjugado, para poder servir com retidão à nação e, nada de alienação, meu irmão.

As dicas já foram exportas, de como nos comportarmos, no mercado de trabalho, para assim valorizar, a tão briosa missão da Comunicação. No entanto, é formidável estreitar estes dois laços; do discurso com a prática, para poder consolidar a vivência com a essência do jornalismo sincero, nada de baixaria ou sensacionalismo, pois não é recomendável para o bom profissional.

A verdade seja dita, nossa turma no princípio era meio danada, imatura, porém no transcorrer do curso foi amadurecendo, felizmente foi mudando esse tal comportamento, haja vista, as cobranças esperando por mudança, que fim veio calhar e, trilhar o caminho da vitória.

É verídico pontuar o talento dessa turma, vejam só os resultados dos projetos majestosos por ela executado; foram os filmes; A última dose, O elefante dos meus sonhos e Pedaladas da vida, de produção valorosa, também teve qualidade e arte, na I Mostra de Fotografia, “Olhares”, a revista produzida com carinho e verdades, sobre o Sertão produtivo e, fechando com chave de ouro, houve um projeto bacana e emocionante, o livro: Laço Rosa, que laçou e encantou muita gente.

Foi provada lá nas FIP, a grandeza dessa turma, 2015.1. Sem recalque, gente, mas nossa turma é pioneira nos projetos de valia. Cada acadêmico provou seu talento com amor, respeitando as diferenças, unidos chegamos à frente. Oh, turma arretada, que deixa, pois, seu legado e também muita saudade. Pois bem, colegas jornalistas não se esqueçam da lição, jornalismo é com amor!

É preciso destacar a bondade de Seu Flaubert Paiva, para nos acompanhar e coordenar, com justiça e gentileza. Vale muito, agradecer a todos os professores queridos, portanto, mestres, nossa eterna gratidão pelos serviços prestados, sempre e bem dotados e, com esmera atenção.

Para não ser mal-educado, mas sim cortês, é importante citá-los; Cosma Ribeiro, Moisés Rodrigues, Josiane Carla, Flávio Franklin, Roberta Trindade, Gustavo Freire, Deleon Souto, Jucirleia Medeiros, Aristeia Candeia, Socorro Lucena (Brim), Ivison Sheldon, Jitana Cardins, Emilson Garcia, Cláudio de Sout e Flaubert Paiva. Justamente, são eles os responsáveis pelo sucesso da gente.

Aqui, portanto, termino minha homenagem singela e sincera, aos meus nobres colegas jornalistas; Aline Freitas, Ana Paula, Ayara Luna, Brunna Pinheiros, Fabiana Fernandes, Francisco Matias, Genésio Oliveira, Iasllan Araújo, James Medeiros, Jordan Bezerra, Junior Macena, Laryssa Cristiny, Lucas Alves, Márcio Costa, Magno César, Morgana Medeiros, Ray Santana, Roberto Murilo, Ricardo Souza, Sidney Silva, Zé Filho, Wânia Nóbrega e Warner Santos.

Os talentosos comunicadores sociais careciam de ser citados, e verdade seja dita, grande já atua no mercado de trabalho, para o bem da nossa sociedade. Finalizo desejando-lhes muito sucesso e glória, sem perderem as sandálias da humildade, como diz o velho sábio. Que o nosso Criador e também o Salvador, abençoem profusamente a vida de cada um, nessa nova caminhada. Peço também a proteção de Maria, a mãe do Nosso Senhor. Deixo aqui, minha mensagem, já com saudades dessa turma genial. Portanto, cuidemos gente da nossa amizade e, que dure para sempre. Obrigado às FIP e a todos. Viva o Jornalismo com amor!

 

Por Jordan Bezerra

 


Publicidade
Publicidade

Comentários

O utilizador reconhece e aceita que o PATOSONLINE.COM, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço, não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O PATOSONLINE não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas no mural ou comentários de postagens.